quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

O 1º mundo não é aqui? (Carta do Editor: Mercado de motos)

Em números absolutos, já estamos en tre os cinco maiores países do mun do em produção e vendas de motos, ao lado de China, Índia, Ja pão e Indonésia. Em 2008, foram qua se 2 milhões de motos licenciadas e 2 140 907 de unidades produzidas. Ao finalizarmos o Balanço de 2008, segundo os dados da Fenabrave, constatamos que em cilindradas mais al tas, nós também figuramos entre os maiores do planeta.

Acima de 200 cm3, os nossos números são bem expressivos, 235 110 motos licenciadas, e já vendemos mais motos que 4 países líderes da Europa (França, Espanha, Alemanha e Reino Unido, nesta ordem) perdendo ape nas para a primeira colocada daquele continente, a Itália, com 262 460 unidades. Para se ter uma ideia, a França vendeu 119 851 motos acima de 125; a Espanha (até novembro) licenciou 198 174 motocicletas em todas as cilindradas; o Reino Unido fechou com 139 715 modelos, entre motos e ciclomotores.

Já a Alemanha, até setembro, tinha somado 146 965 unidades e, em 2007, tinha encerrado o ano com 166 883 motos. Ou seja, deixamos de ser apenas o país das motos pequenas para também se destacar entre os líderes mundiais de motos de média e grande cilindradas. O Brasil é o maior vendedor de Honda Hornet do mundo e, no caso da Yamaha MT-03, com 1350 unidades emplacadas, é o triplo do vendido na Espanha.

Citando outros modelos esportivos, nós comercializamos mais Honda CBR 600RR do que a Espanha e a França, por exemplo. Ainda falando da categoria Sport e comparando com a Espanha, aqui licenciamos mais que o dobro de Yamaha R1, Suzuki GSX-R 1000 e Honda CBR 1000RR do que eles. Entre as Maxitrail, a nossa líder, a Yamaha XT 660R emplacou mais que o triplo dos espanhóis.

Dentre as custom, a nossa Honda Shadow, 2 507 licenciamentos, vendeu mais que a líder espanhola, a Kawasaki VN 900 (1 722), e quase seis vezes o volume do próprio modelo por lá, com 433 motos. Enfim, em todas as categorias de grande cilindrada, nós temos nível europeu! Até quando nós seremos desprezados ou desmerecidos?

Mais números

Quando falamos das marcas, a Honda abre muita distância para as demais. Se pensarmos apenas acima de 200 cm3, a marca da asa dourada, vendeu 133 019 motos. É um número maior que a maioria dos países europeus antes mencionados, acima de 125 cm3. A Yamaha, com 237 568 máquinas emplacadas, só fica atrás do mercado italiano, superando os demais em números totais.

A Suzuki com 141 857 emplacamentos, que aqui é representada pela J. Toledo, é maior que o mercado britânico, alemão e francês, se não contarmos os ciclomotores desses países. A Harley do Brasil já é a oitava do mundo. Imagine se a Hornet custasse o mesmo que lá? Ela custa € 7 549 na Espanha ou R$ 23 400. Teríamos fila de espera!

Texto retirado de :

----------------------------------------------

Isso sim é notícia interessante! Sõ falta nossos governantes lerem isso!

2 comentários:

Line Moto disse...

Cara o seu blog está muito bom, eu também tenho um blog de notícias mais o seu foco é diferente do meu, gostei tanto que resolvi colocar um link seu no meu blog.

Parabens

Aproveita e de uma visitinha no meu blog http://www.linemoto.blogspot.com

Anônimo disse...

Para ser realistica esta comparação entre paises e volume de vendas, deveriam considerar a população existente em cada um. Aí, os números são muito diferentes, quando se considera moto per capita. Não se esqueçam que o Brasil é maior do que a soma territorial destes paises citados.